Campo Grande, Domingo , 20 de Agosto - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: propina

Desembargador acusado por advogado de receber propina aparece nú em vídeo contando que apanhou da ex

Postado por Marco Eusébio , 05 Agosto 2017 às 14:00 - em: Principal

Do Ancelmo Gois: "Um dos vídeos que mais circulou nas redes, esta semana, foi, como se sabe, o de um advogado, Felisberto Odilon Córdova, acusando o desembargador Eduardo Gallo, de Santa Catarina, de pedir propina (veja aqui). Pois bem. Esse mesmo magistrado é autor de um vídeo em que, nu, ele mostra partes roxas no corpo e diz que havia apanhado da ex-companheira. Veja abaixo."




Do púlpito, advogado Felisberto Odilon Córdova chama desembargador de 'vagabundo' e o acusa de pedir propina

Postado por Marco Eusébio , 03 Agosto 2017 às 21:00 - em: Principal

O advogado Felisberto Odilon Córdova acusou o desembargador Eduardo Gallo, relator do processo, de pedir R$ 700 mil de propina para julgar favoravelmente ao seu cliente, durante sustentação oral na 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) hoje. 
 
A causa envolve uma disputa de R$ 35 milhões (agravo de instrumento interposto em execução de honorários). Do púlpito, Córdova disse que o julgamento estava sendo "comprado", chamou o relator de "vagabundo" exigiu apuração do Ministério Púbico. 
 
Dizendo nunca ter sido chamado de "vagabundo" em 25 anos de magistratura, Gallo exigiu que o presidente do colegiado, desembargador Raulino Brunning, desse ordem de prisão ao advogado. Para acalmar os ânimos, Brunning pediu vista dos autos, suspendeu o julgamento e decidiu oficiar o Ministério Publico e a OAB-SC para que apurem o caso. Veja abaixo o vídeo que circula nas redes sociais.
 
 



Carlos Marun desqualifica denúncia de Rodrigo Janot contra Michel Temer e afirma que esta será barrada na Câmara

Postado por Marco Eusébio , 27 Junho 2017 às 13:15 - em: Principal

Um dos principais defensores de Michel Temer na Câmara, o deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS), em mensagem enviada hoje aos seus contatos no WhatsApp, classificou como "uma afronta que vai ser rapidamente arquivada" a denúncia feita ontem por Rodrigo Janot ao Supremo acusando o presidente de corrupção passiva como destinatário da mala de R$ 500 mil repassada pela JBS a Rocha Loures. Para que a denúncia virar processo no STF são necessários pelo menos 342 votos dos 513 deputados federais e Temer precisa de ao menos um terço, 172, para que seja rejeitada. Leia a íntegra da mensagem de Marun:
 
"A denúncia é uma afronta que vai ser rapidamente arquivada. Uma chuva de suposições completamente desprovida de provas. Se quisesse acusar o pres de ter se 'apropriado' dos tais R$ 500 mil, o MP deveria ter dado continuidade a 'operação controlada' para ver onde o dinheiro iria parar. No lugar disto interromperam a ação e deixaram no ar uma dúvida da qual tentam se aproveitar agora. É inacreditável  que o PGR, que cruzou todo o petrolão e suas dezenas de delações sem acusar Dilma, se sinta no direito de denunciar o presidente da República, travando um país que precisa de um pouco de estabilidade para crescer, com base em um conjunto probatório tão frágil como este. Na verdade tratar-se de uma ação de autodefesa do procurador, que tenta com isto dar algum sentido ao 'escandaloso' acordo de colaboração premiadíssima que celebrou com Joesley Batista e a quadrilha da JBS. 
 
Um grande abraço a todos!
 
CARLOS MARUN
DEP. FEDERAL"



Cláudia Gaigher fala sobre 'nascedouro' da propina da JBS para o Fantástico que também divulga a guerra do tráfico

Postado por Marco Eusébio , 18 Junho 2017 às 12:45 - em: Principal

Mato Grosso do Sul volta a ser notícia no Fantástico neste domingo. Em dose dupla, conforme chamada da TV Globo: uma matéria da repórter Cláudia Gaigher sobre a declaração de Joesley Batista à revista Época de que o esquema de pagamento de propina pela JBS "nasceu" no estado, conforme foi aqui divulgado ontem; e outra sobre a guerra do tráfico nas fronteiras com Paraguai e Bolívia.




Na entrevista publicada na nova edição da Época, Joesley diz que pagamento de propina começou em MS

Postado por Marco Eusébio , 17 Junho 2017 às 14:15 - em: Principal

Na entrevista à revista Época em que acusa Michel Temer de chefiar a maior "organização criminosa do Brasil", o empresário Joesley Batista, dono da JBS, diz que o grupo inaugurou esse sistema de pagar propina em Mato Grosso do Sul. "A primeira vez que fui abordado com essa forma de operar foi em Mato Grosso do Sul, no governo Zeca do PT. Vi uma estrutura organizada no andar de cima, com o governador. As coisas no estado só funcionariam dentro da normalidade se estivéssemos alinhados com ele. Esse esquema perdurou até hoje. Foi do PT ao PMDB e, agora, está no PSDB. Tudo com o mesmo modelo, o mesmo modus operandi. Mudam os nomes, mas o sistema permanece igual".




Azambuja diz que 'picaretas' emitem notas frias e atuam com empresas fantasmas em MS

Postado por Marco Eusébio , 29 Maio 2017 às 13:20 - em: Principal

"Aqueles não são empresários, mas um bando de picaretas fraudadores do fisco", disparou o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ao rebater hoje as acusações sobre suposta cobrança de propina no governo de Mato Grosso do Sul levadas ao ar na noite anterior pelo Fantástico da TV Globo (veja aqui), feita pelos empresários Benilson Esteves Tangerino, dono da Frigo Brás Total que conforme o governo é alvo de 18 ações judiciais; e José Alberto Berger, dono da Braz Peli Comércio de Couros Ltda., que é "parte em um total de 105 ações judiciais".
 
Em nota à imprensa, Reinaldo afirma que os denunciantes que apareceram em rede nacional acusando o governo estão sendo processados por emitir mais de R$ 200 milhões em notas frias de empresas fantasmas. "Nós temos uma ação contra eles movida pela Procuradoria-Geral do Estado e na Secretaria de Fazenda, e que já foi encaminhada ao Tribunal de Justiça de MS mostrando que eles são fraudadores do fisco. Ocorre que muitas vezes é colocada uma versão só, mas isso vai mudar, porque nosso Secretário de Governo enviou hoje uma cópia do processo que tem mais de mil páginas aos Ministérios Públicos Estadual e Federal. Eles foram autuados no dia 4 de novembro de 2016, após dados da inteligência fiscal mostrarem movimentação financeira muito atípica desses empresários", declarou.
 
Conforme o governador, os fraudadores emitiam inúmeras notas frias com o objetivo de fabricar créditos de ICMS. "Proprietários de um curtume, começaram a abater gado. O esquema flagrado revelou que eles emitiram mais de R$ 200 milhões em notas frias do couro, se creditando com isenção de ICMS para reverter esse crédito no pagamento do abate do gado no frigorífico, tudo sem pagar imposto", diz a nota. 
 
"Isso está identificado e documentado. É um processo judicial. Já temos dados das Secretarias do Governo do Estado de São Paulo, Rio Grande do Norte e Mato Grosso que mostram que os endereços das empresas são na verdade terrenos baldios, ou seja, empresas fantasmas que nunca existiram. Por isso estão tentando usar artifícios, usando uma pessoa que não tem nada a ver com o governo e muito menos com o governador. Não dei procuração para ninguém falar em meu nome. Quem fala por mim sou eu. Esses homens são fraudadores do fisco e não vamos aceitar coisa errada aqui no Mato Grosso do Sul", frisou o governador. 
 
Azambuja classificou as denúncias exibidas pelo Fantástico como "tendenciosas" e disse que deram ênfase apenas para o lado dos fraudadores do fisco. "Gravei uma entrevista de 11 minutos com o repórter do Fantástico, mas ele não colocou nem um minuto no ar. Não foi veiculado na íntegra tudo o que respondemos das denúncias infundadas feitas por esses senhores. Nós já fizemos uma rodada de explicações com a imprensa, com o Ministério Público, Tribunal de Contas e com todos os órgãos mostrando a documentação e respondendo as falsas denúncias feitas pela JBS. O que cabe a nós agora é continuar trabalhando pelo Estado, fazendo entregas para melhorar a vida da nossa população e deixar os advogados mostrarem a comprovação documental que nós estamos mexendo com picaretas. Temos documentação e vamos provar", finalizou.



OAB-MS diz que denúncia exibida pelo Fantástico será analisada por comissão especial

Postado por Marco Eusébio , 28 Maio 2017 às 23:00 - em: Principal

 



Fantástico exibiu vídeo de gravado por Denilson Tangerino entregando dinheiro a 'Polaco'

Postado por Marco Eusébio , 28 Maio 2017 às 22:30 - em: Principal

Depois de Wesley Batista dizer à Lava Jato que os frigoríficos da JBS pagavam propina para funcionar em Mato Grosso do Sul, a semana começa com o Fantástico exibindo denúncias de dois empresários – José Alberto Berger, que atua com processamento de couro; e Benilson Tangerino, dono de um frigorífico – que acusam o governo estadual de cobrar propinas para liberar licenças no estado.
 
Berger contou ao repórter Maurício Ferraz, da TV Globo, que em novembro teve a autorização para compra de gado suspensa pelo governo por supostas irregularidades. Disse que falou com o governador Reinaldo Azambuja, seu vizinho, que o mandou procurar o então secretário da Casa Civil, Sérgio de Paula, que, por sua vez o mandou falar com um "mensageiro", José Ricardo Guitti, o Polaco.
 
Afirmou ter pago R$ 500 mil em novembro a Polaco, que afirmava agir a mando do secretário, e que no mesmo dia sua licença foi reativada. Como pediram mais dinheiro, resolveu gravar a entrega de R$ 30 mil a Polaco. O vídeo foi exibido pelo Fantástico. Acrescentou que resolveu fazer a denúncia depois que se negou a pagar mais R$ 150 mil por mês e teve a autorização novamente suspensa pelo governo e foi multado em R$ 7 milhões por suposta sonegação fiscal. Sua empresa, disse, está funcionando com liminar na Justiça.
 
Benilson Tangerino relatou ao Fantástico que para manter seu frigorífico funcionando teria pago R$ 300 mil a Sérgio de Paula no gabinete do então gabinete de secretário, e que depois queriam cobrar R$ 150 mil por mês.
 
Entrevistado pelo Fantástico, Azambuja afirmou que os empresários citados são sonegadores de impostos, que "comprovadamente fazem emissão de nota fria pra querer se salvar do pagamento de imposto em Mato Grosso do Sul", que isso foi identificado pelo Estado e tiveram cancelados incentivos concedidos pelo governo anterior. Sobre gravações, Azambuja disse que cada um vai responder por seus atos. Questionado sobre Sérgio de Paula, que deixou o governo em março, o governador declarou que tem uma amizade antiga, mas que "se usou" seu nome foi sem autorização.
 
Em nota ao Fantástico, Sérgio de Paula disse que nunca autorizou ninguém a usar o nome dele. E que, em nenhum momento, foi "contemplado com dinheiro ou qualquer espécie de benesse vinda do senhor José Ricardo Guitti, o Polaco". Sobre José Alberto Berker, Sérgio afirmou que foi procurado por ele para interceder junto à Secretaria de Fazenda, "porém deixei claro que não tinha qualquer tipo de relação ou poder para tentar mudar decisão sobre cortes de benefícios fiscais".
 
Os empresários citados, conforme o Fantástico, vão entregar as denúncias e o vídeo ao Ministério Público Federal (MPF). O programa lembrou que o governador Azambuja já enfrenta quatro pedidos de impeachment, por causa da delação do dono da JBS, Wesley Batista, que afirmou em delação premiada que os frigoríficos do grupo pagavam propina para funcionar em Mato Grosso do Sul num esquema iniciado na gestão de Zeca do PT, passado pela de André Puccinelli e chegado até ao atual governo tucano.
 
Veja aqui em vídeo a matéria no site do Fantástico.



Azambuja vai receber jornalistas hoje na Governadoria para falar sobre denúncias de Wesley Batista

Postado por Marco Eusébio , 22 Maio 2017 às 11:00 - em: Principal

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) convocou hoje a imprensa para falar sobre as declarações do empresário Wesley Batista, do JBS, que em delação à Lava Jato, denunciou suposto esquema de propina paga a governantes de Mato Grosso do Sul para obter benefícios fiscais iniciado na época de Zeca do PT, mantido na de André Puccinelli (PMDB) e chegado à sua gestão. A coletiva será a partir das 16h na Governadoria. Reinaldo tem afirmando concessões fiscais em sua gestão foram feitas visando atrair empresas e a geração de empregos.




Diretoria da OAB-MS vai protocolar pedido ao Supremo na segunda-feira

Postado por Marco Eusébio , 20 Maio 2017 às 13:45 - em: Principal

Um dia depois da quebra de sigilo e divulgação de vídeo de depoimento de Wesley Batista à Lava Jato, revelando pagamento de propina a governadores de Mato Grosso do Sul para obter benefícios fiscais aos frigoríficos JBS no estado, num esquema que teria sido iniciado na gestão do ex-governador Zeca do PT, mantido nos mandatos de André Puccinelli (PMDB) e chegado à gestão do atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB), a Seccional estadual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MS) anunciou hoje que vai pedir oficialmente ao relator da Lava Jato no Supremo, ministro Edson Fachin, acesso integral aos documentos oficiais dos processos relativos ao Estado. O pedido será protocolado na próxima segunda-feira no Supremo, diz a diretoria da OAB-MS em nota divulgada neste sábado (leia aqui a íntegra) frisando que a instituição "reitera seu compromisso irrestrito de defender a Constituição e a ordem jurídica, tomando todas as medidas necessárias para atingir suas finalidades institucionais".