Campo Grande, Segunda-Feira , 11 de Dezembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: joesley-batista

Trecho da delação de Funaro à PGR e Joesley Batista com Michel Temer durante inauguração da Eldorado em Três Lagoas

Postado por Marco Eusébio , 19 Outubro 2017 às 13:30 - em: Principal

Michel Temer veio à inauguração da Eldorado celulose, em Três Lagoas (MS), em dezembro de 2012, como presidente em exercício, para prestigiar o evento da holdingJ&F dos irmãos Joesley e Wesley Batista "em sinal de agradecimento" por propina recebida do grupo, disse em delação premiada o doleiro Lúcio Funaro, que também esteve presente ao evento (leia aqui "O doleiro e o teco-teco em Três Lagoas). Funaro contou à Procuradoria-Geral da República (PGR), em 24 de agosto deste ano, que, além de Temer, o então presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e o ex-ministro Henrique Eduardo Alves (todos do PMDB) levaram 3,2% de cerca de R$ 32 milhões obtidos por empréstimo pela Eldorado da Caixa Econômica Federal. Funaro disse ainda que a propina foi paga a ele por meio de emissão de notas fiscais frias e que, em seguida, teria repassado o dinheiro para Cunha, "que ficou responsável por distribuir o montante entre Henrique Alves e Michel Temer". (Com CampoGrandeNews)




Ticiana Villas Boas e Joesley: conversa sobre amantes teria levado jornalista a expulsar o empresário de casa

Postado por Marco Eusébio , 18 Setembro 2017 às 11:00 - em: Principal

A jornalista Ticiana Villas Boas estaria disposta a pedir o divórcio de Joesley Batista e o expulsou de casa, depois de ouvir o áudio da conversa do marido e o executivo Ricardo Saud, em que o dono da JBS revela que trai a mulher e usa termos chulos para se referir a amantes. A informação foi divulgada pela Veja São Paulo, que ouviu uma amiga de Ticiana. Conforme a revista, a jornalista  pediu para Joesley deixar a casa em que viviam, no dia 5 de setembro, logo que os áudios vieram à tona; e ele foi para o apartamento do pai, José Batista Sobrinho. A Veja São Paulo diz ainda que Ticiana chorou muito e mostrou-se preocupada com o filho de 2 anos do casal. Ela estaria decidida a pedir o divórcio, mas como Joesley foi preso, ainda não teria dado início ao processo de separação.




Wesley e Joesley Batista: os 'reis da carne' agora estão em prisão preventiva, sem prazo para terminar

Postado por Marco Eusébio , 13 Setembro 2017 às 11:00 - em: Principal

A Polícia Federal prendeu Wesley Batista hoje em São Paulo na Operação Acerto de Contas cumprindo ordens de prisão preventiva – sem prazo para terminar – da Justiça Federal de SP contra ele e seu irmão Joesley Batista, que já está preso preventivamente em Brasília e esperava sair na quinta-feira. Os irmãos Batista são acusados de lucrar uma fortuna vendendo R$ 327 milhões em ações da JBS antes que o valor caísse e comprando cerca de US$ 1 bilhão antes que o preço do dólar subisse por causa do abalo que iria ocorrer no mercado com a delação premiada que executivos do J&F iriam fazer à Justiça. Apesar de tanto dinheiro, os irmãos Batista, que não têm curso superior, não compraram diplomas, e devem ficar em celas comuns se forem transferidos para um presídiio.




Joesley Batista com um terço nas mãos, ao ser levado pela Polícia Federal para a carceragem

Postado por Marco Eusébio , 12 Setembro 2017 às 18:30 - em: Principal

Da coluna Painel da Folha de S.Paulo:
 
"Do deputado Carlos Marun (PMDB-MS), sobre a suspensão da delação da JBS e a prisão do empresário Joesley Batista, acusado de omitir informações:
 
– Ao ver Joesley com o terço nas mãos, torci para que ele estivesse rezando pelo Brasil e pedindo perdão pelos prejuízos que causou à nação."



Joesley se entregou à PF um dia depois de seu advogado se encontrar com Janot. Miller, pivô do caso, ficou livre

Postado por Marco Eusébio , 11 Setembro 2017 às 09:00 - em: Principal

Depois de antecipar a prisão de Joesley e Saud (e do ex-procurador Ricardo Miller, que acabou livre) e mostrar a foto flagrante do encontro de Rodrigo Janot com o Pierpaolo Bottini, advogado de Joesley, em um bar de Brasília no sábado, no domingo o blog O Antagonista questionou:
 
"Joesley Batista e Ricardo Saud estão presos, mas algumas perguntas permanecem sem respostas.
 
Edson Fachin poupou Marcelo Miller, mas o pedido de prisão dos empresários é baseado na suspeita de colaboração ilícita do então procurador com os delatores.
 
O ministro emitiu os mandados de prisão temporária de Joesley e Saud desacompanhados de mandados de busca e apreensão, impedindo a Polícia Federal de entrar na casa dos delatores.
 
O Antagonista apurou que Fachin encaminhou à PGR os mandados de prisão na sexta-feira à noite, mas a PF só os recebeu às 16h de sábado. Um dos mandados chegou com endereço errado e precisou ser retificado.
 
O encontro furtivo de Rodrigo Janot com o advogado de Joesley, Pierpaolo Bottini, revelado por O Antagonista, ocorreu no final da manhã, antes que a PF fosse comunicada oficialmente das prisões.
 
Embora Janot e Bottini digam que se encontraram por acaso, O Antagonista desconfia que os dois combinaram o encontro e que trataram, sim, das prisões de Joesley e Saud.
 
O 'boteco' do encontro, aliás, é um depósito de bebidas do Lago Sul, em Brasília, distante do roteiro de lazer da capital. Janot frequenta o local, mas o advogado paulista obviamente não.
 
Segundo fontes da PF, informações preliminares indicavam a prisão de Miller e ações de busca e apreensão. A PF chegou a preparar um avião e deflagraria a operação na segunda-feira.
 
Joesley e Saud têm muito o que explicar; Fachin e Janot também."



Foto divulgada pelo O Angatonista mostra Janot de óculos escuros e o advogado Bottini, que confirmou o encontro 'casual

Postado por Marco Eusébio , 09 Setembro 2017 às 23:45 - em: Principal

"Rodrigo Janot e o advogado Pierpaolo Bottini, que defende Joesley Batista, tiveram um encontro fora da agenda num boteco de Brasília, neste sábado", acaba de divulgar o blog O Antagonista com a foto acima que, conforme o site, foi feita por "um frequentador do local". "A testemunha diz que ambos conversaram por mais de 20 minutos. Para não chamar atenção, escolheram uma mesa de canto, ao lado de uma pilha de caixas de cerveja. Janot não tirou os óculos escuros", informa o site.
 
O Antagonista diz tentou falar com a assessoria de Janot, que "não retornou o contato". Bottini, diz o site, confirmou o encontro fora da agenda, mas disse que foi "casual". Veja a explicação do advogado divulgada pelo O Antagonista: "Na minha última ida a Brasília, este fim de semana, cruzei casualmente com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, num local público e frequentado da capital. Por uma questão de gentileza, nos cumprimentamos e trocamos algumas palavras, de forma cordial. Não tratamos de qualquer questão outra ou afeita a temas jurídicos. Foi uma demonstração de que as diferenças no campo judicial não devem extrapolar para a ausência de cordialidade no plano das relações pessoais."



Marcelo Miller, Ricardo Saud e Joesley Batista: pedido de prisão dos três foi acatado por Fachin, diz O Antagonista

Postado por Marco Eusébio , 09 Setembro 2017 às 23:00 - em: Principal

O pedido de prisão de Joesley Batista, do diretor da JBS Ricardo Saud e do ex-procurador Marcelo Miller, feito pelo procurador-geral Rodrigo Janot ao Supremo foi acatado pelo ministro Edson Fachin, conforme divulgou nesta noite o blog O Antagonista. "A princípio, trata-se de prisão temporária", diz o site.




O ex-procurador Miller e o poderoso Joesley Batista devem ser presos nas próximas horas por delação suspeita

Postado por Marco Eusébio , 09 Setembro 2017 às 09:00 - em: Principal

Autor da gravação de abalou a República, o poderoso Joesley Batista está sendo implodido por uma outra gravação. A prisão do empresário, do diretor da J&F Ricardo Saud e do ex-proucurador Marcelo Miller foi pedida ao Supremo por Rodrigo Janot na noite anterior, com base na gravação em que Joesley e Saud falam sobre suposta interferência de Miller para ajudar no acordo de delação premiada. No Supremo, as ordens de prisão devem partir do ministro Edson Fachin. E já são dadas como certa nos meios políticos.




Azambuja fala com a imprensa durante ato de entregas de medalhas da Polícia Militar de MS pelos 182 anos da corporação

Postado por Marco Eusébio , 05 Setembro 2017 às 14:15 - em: Principal

Ao comentar a decisão de Rodrigo Janot de revisar a delação da JBS por indícios de omissão de informações e ameaçar retirar benefícios concedidos aos irmãos Joesley e Wesley Batista no acordo com a PGR, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) declarou hoje que isso "mostra aquilo que nós sempre falamos, que a verdade prevalece à mentira". A afirmação foi feita à imprensa, ao participar da entrega de medalhas da PM pelos 182 anos da corporação, quando foi instado a falar sobre o assunto, por ter sido citado pelos irmãos Batista que acusaram governantes estaduais, desde a época de Zeca do PT, de cobrar propina para conceder incentivos fiscais aos frigoríficos do grupo em MS. O governador voltou a dizer que a delação tem sido usada por pessoas para se livrar da punição por crimes cometidos, e que se deve dar direito à defesa ao contraditório, antes de se condenar qualque pessoa.




Janot afirmou que revisão do acordo pode implicar em perda total dos benefícios concedidos a Joesley e Wesley Batista

Postado por Marco Eusébio , 04 Setembro 2017 às 18:45 - em: Principal

Rodrigo Janot anunciou hoje que mandou investigar indícios de omissão de informações na delação de três executivos da J&F, controladora da JBS, e disse que benefícios concedidos aos irmãos Joesley e Wesley Batista no acordo podem ser cancelados, sem anular as provas já produzidas em investigações. O procurador-geral da República disse que MP obteve áudio com conteúdo "gravíssimo", em que Joesley conversa com Ricardo Saud, diretor da J&F, também delator, com referências à "agentes da Procuradoria Geral da República" e do "Supremo". 
 
Um desses agentes seria o ex-procurador Marcelo Müller, que deixou a PGR para advogar em escritório que negociou acordo da JBS. A conversa dá a entender que ele estaria auxiliando na confecção de propostas de colaboração para serem fechadas com a PGR, conduta que, em tese, configuraria crime e ato de improbidade administrativa. "Ao longo de três anos, Marcelo foi auxiliar do procurador-geral, procurado por suas qualidades técnicas. Se descumpriu a lei no exercício das funções, deverá pagar por isso", frisou Janot.