Campo Grande, Quinta-Feira , 17 de Agosto - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: jair-bolsonaro

Lula avança na liderança, mas se petista ficar fora do páreo Bolsonaro vira líder isolado diz o DataPoder360

Postado por Marco Eusébio , 16 Agosto 2017 às 14:30 - em: Principal

Caso Lula seja condenado em segunda instância e impedido pela Lei da Ficha Limpa de disputar as eleições de 2018, ou desista de virar candidato, o índice de indecisos salta de 30% para 40% e Jair Bolsonaro vira líder isolado na preferência do eleitorado. É o que aponta pesquisa do DataPoder360 feita por telefone de sábado (12) até segunda-feira (14) com 2.088 pessoas em 197 cidades e margem de erro de 3 pontos para mais ou para menos. 
 
Bolsonaro aparece com 27% caso Geraldo Alkmin for candidato do PSDB. O tucano tem 9% e ficaria tecnicamente empatado lá atrás em segundo lugar com Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede), ambos com 8%. O ex-prefeito de SP Fernando Haddad (PT) tem só 3%. Brancos e nulos somam 38% e 7% não souberam ou não quiseram responder.
 
Ainda sem Lula, Bolsonaro aparece com 25% se o candidato tucano for João Doria que aparece em com 12%. Neste caso, Ciro fica em terceiro com 9%, Marina com 6% e Haddad com 5%. Brancos e nulos somam 36% e 8% não responderam.
 
SE LULA ESTIVER NA DISPUTA, segue líder e até avançou de julho para agosto no DataPoder360, mesmo depois de condenado pelo juiz Sérgio Moro. Num cenário com Alckmin, o petista passou de 26% para 32% e Bolsonaro de 21% para 25%. O tucano caiu de 10% para 4%, ficando tecnicamente empatado com Ciro que oscilou de 5% para 4% e Marina que desceu de 6% para 3%. Brancos e nulos somaram 23% e 10% não responderam.
 
No cenário com Doria candidato do PSDB, Lula cresceu de 21% para 31%, Bolsonaro caiu de 21% para 18% e o tucano oscilou de 13% para 12%. Ciro oscilou de 4% para 6% e Marina afundou de 12% para 3%. Brancos e nulos somam 23% e 7% não responderam.



Maria do Rosário comemorou a decisão do STJ e Bolsonaro promete recorrer ao Supremo contra condenação

Postado por Marco Eusébio , 15 Agosto 2017 às 19:00 - em: Principal

Por unanimidade, a 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve hoje decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF) que condenou o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) a pagar R$ 10 mil à também deputada Maria do Rosário (PT-RS) por ter afirmado na Câmara em 2014 que a petista não merecia ser estuprada por ser "muito feia". 
 
No dia seguinte, ele reafirmou ao jornal gaúcho Zero Hora: "Ela não merece [ser estuprada] porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia, não faz meu gênero, jamais a estupraria. Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece". O deputado também terá de se retratar publicamente em jornais, no Facebook e no Youtube. 
 
No julgamento de hoje, a relatora do caso, ministra Nancy Andrighi, votou contra o recurso de Bolsonaro, e afirmou: "A expressão 'não merece ser estuprada' constitui uma expressão vil que menospreza a dignidade de qualquer mulher, como se uma violência brutal pudesse ser considerada uma benesse, algo bom para acontecer com uma mulher."
 
Bolsonaro disse que vai recorrer contra a decisão no Supremo, onde é réu no mesmo processo. "Ela [Maria do Rosário] me chamou de estuprador e ela estava defendendo o estuprador Champinha. Só isso", disse ao site G1. Maria do Rosário afirmou que a decisão do STJ é uma "vitória de todas as mulheres brasileiras".



Lídio não foi ao evento de Bolsonaro porque tinha evento alusivo ao Dia do Advogado na Assembleia, onde condecorou Mochi

Postado por Marco Eusébio , 11 Agosto 2017 às 18:30 - em: Principal

A exigência de Jair Bolsonaro para que o PEN desista da ação no Supremo contra a prisão de condenados em segunda instância, o que na opinião dele pode "acabar com a Lava Jato", para que ele ingresse no partido que está trocando o nome para Patriota, tem aval do presidente estadual da sigla em Mato Grosso do Sul. Indagado, o deputado estadual Lídio Lopes disse ao Blog: 
 
– "Na verdade, foi o advogado do Zé Dirceu (Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay) que entrou com a ação porque o PEN não tinha mancha. Então, acho que ele está certo, porque se manter a ação, mata o discurso dele".
 
Embora todos os presidentes regionais da sigla tenham sido convidados para o ato que marcaria ontem o ingresso de Bolsonaro na sigla (leia aqui), Lídio Lopes não foi ao Rio de Janeiro porque tinha compromisso em Campo Grande: a entrega da Medalha do Mérito Advocatício, proposta por ele e realizada pela Assembleia na noite anterior, véspera deste Dia do Advogado. Na ocasião, Lídio entregou a medalha ao seu colega presidente da Casa, deputado Júnior Mochi (PMDB), que é advogado.



Barroso avisa que Bolsonaro anunciará ao vivo no Facebook seu ingresso no Patriota para disputar a Presidência

Postado por Marco Eusébio , 08 Agosto 2017 às 17:30 - em: Principal

Com a chegada de Jair Bolsonaro para disputar a Presidência da República em 2018 pela sigla, após enquete lançada no Facebook, o PEN decidiu que passará a se chamar Patriota. O presidente nacional do partido, Adilson Barroso, informa na rede social que na quinta-feira às 16 horas fará transmissão ao vivo junto com Bolsonaro no Rio de Janeiro para que o deputado fale de seu ingresso no Patriota.




Na enquete sobre nome do PEN, Lídio Lopes diz preferir o nome atual, mas considera Patriota 'simpático'

Postado por Marco Eusébio , 02 Agosto 2017 às 17:45 - em: Principal

Indagado sobre a Enquete que seu partido lançou no Facebook (acesse aqui) para mudar ou não de nome com a chegada de Jair Bolsonaro à sigla, o presidente estadual do PEN de Mato Grosso do Sul, deputado Lídio Lopes, respondeu ao Blog:
 
– "Eu, na verdade, prefiro que seja mantido PEN. Porém, se for mudar o nome, Patriota é bem simpático."



Jair Bolsonaro e Adilson Barroso fazem com as mãos o número 51 do PEN, que deve mudar de nome

Postado por Marco Eusébio , 31 Julho 2017 às 12:00 - em: Principal

 
O presidente do PEN disse que o deputado já chega como pré-candidato ao cargo de presidente. "A candidatura já era nata. A gente até precisa de uma candidatura assim. Para mim o que surpreendeu é que ele não exigiu muita coisa o que exigiu, na verdade pediu, foi que tivesse a possibilidade ser candidato presidente". Barbosa afirmou que Bolsonaro escolheu a legenda por ser uma das poucas não envolvidas na Operação Lava Jato. "Participamos de duas eleições, em 2014 elegendo 17 deputados e um suplente e, em 2016 fizemos três vezes mais que a Rede de Marina Silva: 524 vereadores 14 prefeitos mais de 30 vices", comemora. 
 
Ao jornal O Estado de S.Paulo, Bolsonaro disse que o ingresso no PEN está 99% acertado. "É um noivado nota 10. Estamos, inclusive, estudando a mudança do nome do partido. Em poucos dias devemos selar esse casamento", declarou o presidenciável, que no fim de semana até já posou no fim de semana para fotos ao lado d e Adilson Barbosa, como a acima em que ambos aparecem fazendo o número 51 da sigla com as mãos. Em MS, o presidente estadual do PEN, Lídio Lopes, já declarou que o ingresso de Bolsonaro pode dar "força" ao partido (leia aqui).



Lula lidera em rejeição seguido por
Lula segue na frente na preferência de voto para a Presidência em 2018. Porém é o mais rejeitado dentre todos os candidatos, por mais da metade dos eleitores, com 55,8%. É o que aponta levantamento do instituto Paraná Pesquisas feito para a IstoÉ e divulgado neste fim de semana pela revista.
 
No cenário em que Geraldo Alckmin aparece candidato pelo PSDB, Lula lidera com 26,1%, seguido por Jair Bolsonaro com 20,8%, Joaquim Barbosa 9,8%, Alckmin 7,3%, Marina Silva 7%, Ciro Gomes 4,5% e Álvaro Dias 4,1%. Quando o candidato tucano é João Doria, o petista lidera com 25,8%, seguido por Bolsonaro com 18,7%, Doria 12,3%, Joaquim Barbosa 8,7%, Marina Silva 7,1%, Ciro 4,5% e Álvaro Dias 3,5%. 
 
Outros três nomes aparecem com rejeição superior a 50%: Alckmin com 54,1%, Bolsonaro 53,9% e Ciro com 50,2%. Depois vem Marina com 46,3%, Joaquim Barbosa com 42,3% e Dória com 42,2%. A rejeição de Álvaro Dias não é citada na pesquisa.
 
"Se Lula, Alckmin e Bolsonaro não conseguirem reduzir a rejeição, dificilmente ganham a eleição de 2018. E se Alckmin ou Bolsonaro forem os adversários de Lula num segundo turno, tudo pode acontecer. Até a vitória de Lula”, disse Murilo Hidalgo, diretor do instituto.
 
Além de ser o menos rejeitado, o prefeito de São Paulo também é o menos conhecido: 15,4% disseram não conhecer Doria suficientemente para opinar. A pesquisa ouviu 2.020 entre segunda (24) e quinta-feira (27. A margem de erro é de 2 pontos para mais ou para menos.



Bolsonaro é um nome de expressão que pode dar força ao partido, diz presidente estadual do PEN em MS Lídio Lopes

Postado por Marco Eusébio , 22 Julho 2017 às 12:30 - em: Principal




Amarilha disse que não seria cristão quem defende aborto e pena de morte: David defende Bolsonaro

Postado por Marco Eusébio , 20 Julho 2017 às 14:30 - em: Principal

Ao comentar delarações do presidente regional do PSDC, Elizeu Amarilha, de que Bolsonaro não seria cristão porque defende o aborto e a pena de morte, aqui publicadas ontem, o deputado estadual Coronel David escreveu ao Blog afirmando:

– "Esse Amarilha fala coisas que não correspondem com a realidade. Desde quando o Bolsonaro é favorável ao aborto? 
 
– Quanto à pena de morte, eu e ele defendemos rigor contra bandido.
 
Com a palavra, o Amarilha.



Coronel David diz que seguirá Bolsonaro caso o presidenciável confirme a mudança de partido visando 2018

Postado por Marco Eusébio , 19 Julho 2017 às 14:30 - em: Principal

Caso Jair Bolsonaro confirme a saída do PSC neste segundo semestre e ingresse em outra sigla para disputar a Presidência da República em 2018 vai levar na mudança partidária o deputado estadual Coronel David de Mato Grosso do Sul. "Já conversamos sobre isso" disse o sul-mato-grossense ao Blog. Conforme David, Bolsonaro contou que havia falado com o presidente nacional do PSDC, José Maria Eymael (SP), eterno candidato da sigla ao Planalto, e o paulista havia expressado interesse de disputar uma cadeira de deputado federal no ano que vem com grandes chances de se eleger, caso o deputado federal fluminense ingressasse no partido democrata cristão. Hoje, entretanto, o PSDC divulgou nota (leia aqui) negando interesse de abrigar o projeto político de Bolsonaro.