Campo Grande, Quinta-Feira , 22 de Fevereiro - 2018


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: fetems

Presidente da Fetems, Jaime Teixeira, diz que há 5 anos não acontece concurso para professores e administrativos da Educação

Postado por Marco Eusébio , 07 Fevereiro 2018 às 09:00 - em: Principal

A Federação dos Trabalhadores na Educação (Fetems) divulgou nota cobrando do Governo de MS a realização de concurso público para professores e servidores administrativos da área de educação. A entidade afirma, em nota, que há cinco anos não acontece concurso e a situação tem levado a um número crescente de profissionais temporários, o que prejudica a qualidade do ensino público. A Fetems diz que há mais de 2.890 vagas na rede estadual de ensino esperando para serem preenchidas por profissionais concursados, conforme prevê a Constituição Federal e é uma das metas do Plano Nacional de Educação (PNE). Leia aqui a íntegra no site da Fetems.




Jaime Teixeira diz que faltam 25 dias para início do ano letivo e prefeitos usam estradas em 'má conservação' como pretexto

Postado por Marco Eusébio , 15 Janeiro 2018 às 13:10 - em: Principal

A intenção de prefeitos de algumas cidades de Mato Grosso do Sul de adiar o início do ano letivo sob alegação de estradas danificadas pelas chuvas, anunciada à uma rádio de Campo Grande na semana passada pelo presidente da Associação dos Municípios (Assomasul), Pedro Caravina, provocou reação da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems) que se manifestou hoje contrária à medida. "O calendário escolar fica comprometido com o adiamento do ano letivo e aumenta as aulas a serem lecionadas aos sábados, e sabemos que a frequência dos alunos é reduzida nas aulas aos finais de semana, prejudicando as famílias e os estudantes, interferindo no planejamento programado", diz o presidente da Fetems, Jaime Teixeira. O educador lembra que ainda faltam 25 dias para o início do ano letivo e a Assomasul está usando "estradas em má conservação como pretexto para provocar prejuízo para a educação pública".




Ex-ministro Gilberto Carvalho durante discurso hoje na Plenária da Frente Brasil Popular em MS

Postado por Marco Eusébio , 02 Dezembro 2017 às 12:15 - em: Principal

"O Lula vai ser candidato, a Manuela (PCdoB) vai ser candidata, o Ciro (PDT) vai ser candidato, nós vamos dialogar e nada vai nos separar" - afirmou em Campo Grande neste sábado o ex-ministro petista Gilberto Carvalho, que foi assessor e conselheiro do presidente Lula em seus dois governos e chefiou a secretaria-Geral da Presidência da República no governo Dilma Rousseff. A declaração foi feita em discurso na sede da Fetems, onde Carvalho participa na Plenária Estadual de Frente Brasil Popular em Mato Grosso do Sul.




Deputado Eduardo Bolsonaro vai presidir o debate na manhã de segunda-feira na Câmara de Campo Grande

Postado por Marco Eusébio , 12 Agosto 2017 às 15:00 - em: Principal

A comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa o projeto Escola Sem Partido (PL 7180/14) fará seminário na segunda-feira em Campo Grande para debater a proposta que visa impedir que professores usem a audiência cativa dos alunos para promover preferências políticas, ideológicas, partidárias, religiosas e morais. O encontro será partir das 9h no plenário da Câmara dos Vereadores sob a presidência do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-SP). A organização diz que convidou representantes de entidades contrárias ao projeto, como a ACP, Fetems e professores doutores da UFMS, que rejeitaram participar do debate.




Em assembleia hoje, sindicatos de todo o estado decidiram aceitar a proposta salarial do governo de MS

Postado por Marco Eusébio , 26 Julho 2017 às 17:00 - em: Papo de Arquibancada

Professores da rede pública estadual de Mato Grosso do Sul decidiram nesta tarde em assembleia dos 74 sindicatos municipais na sede da federação da categoria, a Fetems, em Campo Grande, aceitar a proposta salarial do governo Reinaldo Azambuja (PSDB). Para o presidente do Simted de Bataguassú, professor Paulo Antonio dos Santos, a atual crise econômica no país e um cenário de arrocho salarial não deixa muita margem para negociar com os governos. "Seria melhor o cumprimento da legislação como foi aprovada em 2015. Porém, diante do quadro que foi debatido com a categoria, os trabalhadores e trabalhadoras em educação entenderam que é melhor manter essa politica de promoção de um ganho real nos últimos anos, apostando no cumprimento integral das etapas que estão sendo negociadas, e mantendo a integralização do piso até 2020, por 20 horas, em Mato grosso do Sul. Uma política que nos levou a um dos melhores salários do Brasil", disse o presidente da Fetems, Jaime Teixeira.