Campo Grande, Domingo , 18 de Fevereiro - 2018


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: economia

Ranking elaborado pela Confederação Nacional da Indústria é liderado pelo Canadá e Brasil está em penúltimo

Postado por Marco Eusébio , 16 Fevereiro 2018 às 17:00 - em: Principal

O Brasil subiu do 11º para o 4º lugar no quesito disponibilidade e custo da mão de obra e avançou do 16º para o 15º lugar no quesito peso dos tributos em 2017. Mesmo assim, segue em penúltimo no ranking Competitividade Brasil 2017-2018, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), que é liderado pelo Canadá. No último lugar, está a Argentina, que pode superar o Brasil. O estudo mostra que, em 2017, o país vizinho superou o Brasil nos fatores ambiente macroeconômico e ambiente de negócios e segue na frente em três fatores - disponibilidade e custo de capital, infraestrutura e logística e educação.

"No ranking geral, o Brasil só não perdeu a posição para a Argentina, pois, nos fatores em que possui vantagens, o desempenho brasileiro ainda é muito superior ao argentino", constata a CNI. O gerente de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca, diz que o Brasil fez mudanças importantes em 2017, mas os demais países também estão avançando e conseguem se manter à frente na competitividade. "Para enfrentar os competidores, o Brasil precisa atacar problemas antigos e fazer as reformas que melhorem o ambiente de negócios e o ambiente macroeconômico", afirma Fonseca.




Postado por Marco Eusébio , 14 Fevereiro 2018 às 14:30 - em: Principal

A melhora na economia brasileira, anunciada pelo governo, divide a opinião de leitores: dos 72 que opinaram na Enquete encerrada hoje no Blog deu empate dos que afirmam "Sim! Já está melhor" e os que negam "Não! está pior", ambas as opções com 25 (34.72%) cada. Outros 22 (30.56%) leitores disseram que "Ainda não dá pra avaliar".




Octavio de Lazari Junior, que entrou aos 14 anos no banco, foi escolhido 40 anos depois para presidir o Bradesco

Postado por Marco Eusébio , 12 Fevereiro 2018 às 17:00 - em: Principal

Chegou a hora de os bancos brasileiros aprenderem a conviver com juros baixos, afirmou o vice-presidente do Bradesco, Octavio de Lazari Junior, de 54 anos, que no dia 12 de março assumirá a presidência do banco no lugar de Luiz Carlos Trabuco, que permanecerá no conselho de administração. "É lógico que os bancos têm um ganho importante com taxas de juros altas, mas não adianta ser empresa rica num país pobre", declarou Lazari à Folha de S.Paulo. Para o economista, especialista em marketing e finanças que trabalha há 40 anos no banco, o segredo está na escala: se emprestar mais, o sistema financeiro continuará rentável. “Todo mundo precisa de crédito. Se chegarmos a 50% da população, em vez de apenas 10%, as taxas de juros podem ser menores.” Lazari vê sinais de recuperação da economia e se diz otimista sobre a continuidade das reformas, mesmo com as eleições. "Independentemente de quem seja o próximo presidente, a agenda para o país é igual", projetou.




Pedro Chaves: 'idosos são profissionais talentosos, que têm experiência, e não pode se perder esse conhecimento'

Postado por Marco Eusébio , 10 Fevereiro 2018 às 11:15 - em: Principal


Postado por Marco Eusébio , 05 Fevereiro 2018 às 11:30 - em: Principal

A economia está melhorando, como diz o governo? Opine à direita (conectado ao Facebook) na nova Enquete do Blog!




Gráfico da Associação Comercial mostra que depois de quedas desde 2012, movimento teve pequena reação em 2017

Postado por Marco Eusébio , 29 Janeiro 2018 às 18:00 - em: Principal


Índice reflete aumento do otimismo em relação ao desempenho da economia e das empresas nos próximos seis meses, diz pesquisa

Postado por Marco Eusébio , 19 Janeiro 2018 às 15:15 - em: Principal

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) subiu para 59 pontos neste mês de janeiro. Com o aumento de 0,7 ponto em relação a dezembro, o indicador está acima da média histórica de 54,1 pontos e é o maior desde abril de 2011. Os dados são de pesquisa divulgada nesta sexta-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), cujos indicadores vão de zero a cem pontos. Quando estão acima de 50 pontos mostram que os empresários estão confiantes. A confiança é maior nas grandes empresas, segmento em que o ICEI alcançou 61,1 pontos neste mês. Nas médias empresas, o indicador foi de 57,6 e, nas pequenas, de 55,9 pontos. Conforme a CNI, a melhora reflete o aumento do otimismo em relação ao desempenho da economia e das empresas nos próximos seis meses. O Índice de Expectativas cresceu 1 ponto frente a dezembro e chegou a 62 pontos em janeiro, o maior desde fevereiro de 2013. O índice é 7,3 pontos superior ao de janeiro de 2017. "As expectativas melhoraram porque os empresários percebem melhora em suas condições de negócios e, a partir disso, projetam um futuro mais promissor", afirma o economista da CNI Marcelo Azevedo.



O governo federal pressionou diretoria da Petrobras depois de reajustes que fizeram o produto ficar 16% mais caro em 2017

Postado por Marco Eusébio , 19 Janeiro 2018 às 09:00 - em: Principal

A Petrobras reduz hoje em 5% o preço do botijão de até 13 kg do gás de cozinha nas refinarias e os ajustes, que estavam sendo mensais, passarão a ser trimestrais. As revisões no valor poderão ou não refletir no preço final ao consumidor, já que a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados. A revisão na política de preços ocorre depois que o ministro Henrique Meirelles (Fazenda), manifestou ao presidente da Petrobras, Pedro Parente, sua preocupação com o impacto da alta do produto no ano passado, diz o jornal O Globo. O governo federal vinha questionando reajustes que fizeram o produto ficar 16% mais caro em 2017, muito acima da  inflação de 2,95%.




Etanol e gasolina estão entre os produtos que mais pesaram na balança da inflação em 2017 na Capital

Postado por Marco Eusébio , 12 Janeiro 2018 às 16:30 - em: Principal

A inflação em Campo Grande fechou o ano de 2017 em 2,6%, bem abaixo da meta inflacionária de 4,5%, estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), conforme o Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais (Nepes) da Uniderp. O índice foi o menor da série histórica do Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande (IPC-CG) desde 2006, quando ficou em 2,29%. O resultado incluiu também a inflação de dezembro, 0,42%, segundo maior porcentual em 2017, só inferior ao de 0,43% registrado em janeiro do ano passado. "A inflação ainda permanece controlada, o que indica que as medidas econômicas tomadas pelas autoridades estão surtindo os efeitos esperados. Também há que se que considerar que, em 2017, o Brasil colheu uma supersafra de grãos, o que possibilitou a estabilização e até a baixa em alguns produtos do grupo Alimentação, favorecendo a queda da inflação. Outros motivos são o alto desemprego no país, os juros ainda elevados e o grande endividamento da população, reduzindo a demanda, inclusive, em produtos de alimentação", explica o coordenador do Nepes-Uniderp, Celso Correia de Souza.




Indústria de chapas de madeira reconstituída de média densidade da Asperbras, em Água Clara

Postado por Marco Eusébio , 11 Janeiro 2018 às 17:40 - em: Principal

O grupo Asperbras anuncia para março a fábrica de placas de madeira de média densidade (MDF) que construiu em Água Clara (MS), num investimento que totaliza R$ 375 milhões, sendo R$ 300 milhões no projeto instalado em uma área de 500 mil m² e outros R$ 75 milhões aplicados no plantio de florestas de eucaliptos, que deve chegar ao total de 36 mil hectares de área plantada. "A unidade industrial da GreenPlac é um dos maiores investimentos do nosso grupo", diz o CEO da Asperbras, José Roberto Colnaghi. "Serão criados 700 empregos diretos e indiretos na região", completa o empresário. O executivo diz que a GreenPlac pretende disputar o mercado de MDF com os principais players do setor. Nesse sentido, escolheu estrategicamente a cidade de Água Clara, próxima das áreas de floresta plantada de Mato Grosso do Sul.