Campo Grande, Segunda-Feira , 20 de Novembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: andre-puccinelli

Caso André insista em não ser candidato, Waldeli, que vai se filiar na sigla na convenção, estará apto à disputa

Postado por Marco Eusébio , 16 Novembro 2017 às 18:30 - em: Principal

Seja qual for a decisão a ser tomada na convenção estadual do PMDB adiada para o primeiro sábado de dezembro, dia 2, o partido terá candidatura própria ao governo de Mato Grosso do Sul nas eleições de 2018, conforme integrantes da cúpula confidenciaram ao Blog. O principal nome continua sendo o de André Puccinelli, cotado a assumir a presidência na convenção e conduzir a sigla durante o pleito eleitoral. Caso o ex-governador (que hoje diante da insistência da imprensa lembrou já haver dito antes que não pretende ser candidato) resolva não se candidatar, o principal cotado deverá ser o prefeito de Costa Rica, Waldeli dos Santos Rosa, que confirmou hoje  ao Blog que vai se filiar ao partido na convenção.




Marun, em nota à imprensa: 'Renovamos a nossa confiança em André Puccinelli, nosso líder maior'

Postado por Marco Eusébio , 16 Novembro 2017 às 16:45 - em: Principal

Depois de se reunir hoje com o ex-governador André Puccinelli e com demais integrantes da cúpula regional do PMDB, que resolveram adiar para o dia 2 de dezembro a convenção estadual do partido, o deputado federal Carlos Marun enviou nota à imprensa afirmando, em alusão a prisão do ex-governador revogada ontem pelo TRF3, que André "foi vítima de uma violência" reforçando a "nossa confiança em André Puccinelli, nosso líder maior". Leia a íntegra:
 
"NOTA EM relação à decisão da Executiva Estadual do PMDB, que transferiu para 2/12 a nossa Convenção Regional, declaro o que se segue:
 
1) Renovamos a nossa confiança em André Puccinelli, nosso líder maior.
 
2) O ex-governador foi vítima de uma violência. Assim sendo, foi correta a decisão de conceder-lhe um tempo para convívio familiar, distante de maiores eventos políticos;
 
3) Mesmo tendo a decisão representado uma perda política, já que faríamos uma convenção histórica, haja visto as dezenas de confirmações de caravanas do interior, entendo que não poderíamos agir como se nada tivesse acontecido, dando sequência normal a nossa agenda;
 
4) Como deputado espero que as circunstâncias no mínimo controversas presentes no episódio sejam esclarecidas, considerando as graves consequências pessoais e políticas resultantes da decisão reparada pelo Desembargador Paulo Fontes, que é oriundo do próprio Ministério Público. Afinal, prendeu-se equivocadamente o candidato que lidera as pesquisas para governador de MS;
 
5) MS é um estado de paz, que exige uma Justiça Sem Partido;
 
6) Por fim reafirmo minha confiança na Justiça e manifesto a certeza de que tudo isto se esclarecerá.
 
CARLOS MARUN
 16/11/17"



Ao lado de Marun e da filha Vanessa, André Puccinelli lembrou que havia dito que não queria ser candidato em 2018

Postado por Marco Eusébio , 16 Novembro 2017 às 15:45 - em: Principal

Depois de se reunir com André Puccinelli no apartamento do ex-governador em Campo Grande e receber dele "carta branca" para tomar a decisão, a cúpula do PMDB anunciou nesta tarde que foi adiada para o dia 2 de dezembro, em local e horário a serem definidos, a convenção estadual da sigla que estava marcada para este sábado no Golden Class. O presidente estadual do PMDB, deputado Júnior Mochi, disse que a decisão de adiar o evento foi tomada "em respeito" ao ex-governador, após sua prisão nesta semana pela Polícia Federal na Operação Papiros de Lama, revogada ontem pelo TFR3. 
 
André continua sendo o principal nome para presidir o PMDB e conduzir o partido nas eleições de 2018, mas não definiu se voltará ou não a ser candidato ao governo. Indagado, ele respondeu ao site Campo Grande News: "Se fosse a candidatura, ela não estaria mantida, porque eu havia dito que eu não queria ser (candidato)".  Diante da insistência dos jornalistas, o ex-governador afirmou que só quando houver a eleição da nova executiva da sigla decidirá sobre a candidatura.



Ulisses Rocha diz que sem André não haverá reunião e Mochi confirmou o encontro para amanhã na sede do PMDB

Postado por Marco Eusébio , 15 Novembro 2017 às 14:00 - em: Principal

Lideranças do PMDB contam com a presença de André Puccinelli amanhã na reunião para tratar da convenção estadual do partido. O encontro foi marcado após a prisão do ex-governador na Operação Papiros de Lama da Polícia Federal, ontem, em Campo Grande, para decidir se manteriam para sábado ou seria adiada a convenção que visa eleger André presidente regional para conduzir a sigla nas eleições de 2018. Com a decisão do desembargador Paulo Pontes, do TRF3, que hoje mandou soltar Puccinelli, o evento deve ser mantido para às 10h de sábado no Golden Class. 
 
"A reunião está marcada para amanhã, às 11h, na sede do partido" informou há pouco o atual presidente regional da sigla, deputado Júnior Mochi. "O PMDB trata esse assunto com a maior seriedade. Essa ação foi completamente direcionada a atingir a honra e a integridade do ex-governador André Puccinelli e eu penso que o partido deve a ele um grande ato de desagravo. Não haverá reunião sem a presença dele", disse ao Blog o presidente municipal da sigla, Ulisses Rocha.



André Puccinelli ao ser levado ontem para exame de corpo de delito antes de seguir para o Centro de Triagem

Postado por Marco Eusébio , 15 Novembro 2017 às 12:20 - em: Principal

O desembargador Paulo Pontes, do Tribunal Regional Federal da 3ª Região em SP com jurisdição em MS, concedeu hoje habeas corpus que dá liberdade ao ex-governador André Puccinelli e ao seu filho, o advogado André Júnior, presos ontem pela Polícia Federal na Operação Papiros de Lama. O alvará de soltura foi solicitado no fim da tarde de ontem pelo advogado de defesa Renê Siufi, de Campo Grande, em conjunto com o advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, de São Paulo, que já atuou na defesa de Michel Temer e de Lúcio Funaro. A ordem será encaminhada ao juiz de plantão da Justiça Federal em Campo Grande que deverá determinar a soltura dos dois na tarde desta quarta-feira. A decisão não se estende aos outros dois presos na operação, os advogados  Jodascil Gonçalves Lopes e João Paulo Calves.




Carlos Marun escreveu no Facebook após visitar André em presídio: 'É chocante ver quem tanto fez por MS nessa situação'

Postado por Marco Eusébio , 15 Novembro 2017 às 12:00 - em: Principal

O deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) visitou hoje pela manhã, antes de sair o alvará de soltura do TRF3, o ex-governador André Puccinelli no Centro de Triagem do Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, e depois afirmou no Facebook: "Ele está dividindo espaço com outros 18 presos. É chocante ver um homem que tanto fez pelo MS nesta situação. Todavia, ele está sendo tratado com respeito e não faz reparos quanto a isto. Agradeceu as inúmeras manifestações de solidariedade que está recebendo, especialmente via redes sociais". Clique abaixo e leia a íntegra da mensagem de Marun na rede social.




Carlos Marques questionou prisões na Operação da PF e Newley Amarilla, advogado do delator, respondeu

Postado por Marco Eusébio , 14 Novembro 2017 às 20:30 - em: Principal

A prisão do ex-governador André Puccinelli (PMDB) pela Polícia Federal na Operação Papiros de Lama hoje em Campo Grande rendeu um debate de dois renomados advogados de Mato Grosso do Sul no Facebook: o ex-presidente da OAB-MS, Carlos Marques, e Newley Amarilla, advogado que representa o pecuarista Ivanildo da Cunha Miranda, apontado como operador do esquema de propinas cuja delação serviu como base para a quinta fase da Operação Lama Asfáltica. "Há algo podre no reino do Pantanal", escreveu Carlos Marques no artigo, em que também questionou: "Na delação feita pelo Ivanildo nas terras pantaneiras, ele só envolve o Ex-governador André. Ele esqueceu de falar do Ex-governador Zeca e do atual Governador, ou a omissão foi proposital?". Marques acrescentou: "Causa maior estranheza ainda o fato de que existe um concorrente ao Governo do Estado oriundo dos quadros da magistratura, que naturalmente deve ter interesse em ver o ex-governador André fora da disputa". Clique abaixo e leia a íntegra no Facebook.

Newley Amarilla, ao comentar o artigo, dirigindo-se ao colega advogado, escreveu: "Carlos, respeitando suas opiniões, são os seguintes os equívocos acerca de sua reflexão, quanto aos fatos, obviamente: 1) na delação da JBS o nome de Ivanildo só aparece ligado a André Puccinelli; nunca ao de Zeca ou Reinaldo. Basta ouvir atentamente as delações de Joesley, Wesley e outros da JBS; tanto que as planilhas fornecidas na tal delação e vinculadas a Ivanildo compreendem o período de 2007 (ano em que André assumiu) a 2013 (penúltimo ano do segundo mandato de André Puccinelli). Logo, não poderiam envolver Zeca e Reinaldo. Então, não houve omissão, mas gritante equívoco de quem assim entendeu." Clique abaixo e leia a íntegra no Facebook.




André Puccinelli e o filho advogado foram levados para o Centro de Triagem do Presídio de Segurança Máxima

Postado por Marco Eusébio , 14 Novembro 2017 às 20:00 - em: Principal


Empreiteiro João Amorim é um dos seis investigados que foram conduzidos a depor na Superintendência da PF

Postado por Marco Eusébio , 14 Novembro 2017 às 14:15 - em: Principal

Dez pessoas, entre políticos, advogados e empresários foram alvo da Operação Papiros de Lama deflagrada hoje em Campo Grande, delação premiada feita pelo pecuarista Ivanildo da Cunha Miranda, ex-operador do suposto esquema de propinas. Conforme o site Midiamax, a Polícia Federal pediu prisão preventiva de todos, mas o juiz federal Fábio Luparelli Magajewski só concedeu o mandado no caso do ex-governador André Puccinelli e de seu filho Jr., advogado. Foram alvos de prisão temporária de cinco dias, os advogados João Paulo Calves e Jodascil Gonçalves Lopes, do Instituto Ícone. Foram conduzidos coercitivamente à depor na PF: o ex-secretário de Fazenda de MS, André Luiz Cance; os empreiteiros João Amorim e João Baird; o dono da gráfica Alvorada, Mirched Jafar Júnior; o dono da PSG Antônio Cortez; e o engenheiro João Maurício Cance. Estes seis investigados que não foram presos estão impedidos de sair da cidade por mais de 10 dias sem autorização, não podem sair de casa após às 21h e devem comparecer mensalmente à Justiça, sob pena de prisão caso descumpram as ordens judiciais.




Júnior Mochi presidiu a sessão da Assembleia hoje e deve anunciar até o fim do dia se convenção será adiada ou não

Postado por Marco Eusébio , 14 Novembro 2017 às 12:15 - em: Principal

Pegos de surpresa com a prisão de André Puccinelli hoje pela Polícia Federal em Campo Grande, integrantes da cúpula estadual do PMDB devem adiar a convenção marcada para o próximo sábado no Golden Class que elegeria o ex-governador como presidente estadual do partido. Atual presidente da sigla, o deputado estadual Júnior Mochi, vai se reunir com demais lideranças. "Vamos aguardar até quinta-feira, quando vamos resolver qual o caminho a seguir. Por enquanto tudo fica como está", acaba de dizer ao Blog o presidente municipal da sigla, Ulisses Rocha.