Campo Grande, Terça-Feira , 23 de Maio - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br
Acusado de iniciar a cobrança de propina, Zeca acusa Wesley que querer se beneficiar com delação

Postado por Marco Eusébio , 19 Maio 2017 às 19:45 - em: Principal

Em reação à divulgação do depoimento em delação premiada de Wesley Batista, do grupo JBS, que acusa ele e seus dois sucessores de receberem propina para conceder isenções fiscais ao grupo frigorífico em Mato Grosso do Sul (leia aqui), o deputado federal e ex-governador Zeca do PT afirmou hoje que "nunca pediu e nem tomou conhecido de que alguém tenha pedido propina ao referido grupo em seu nome ou em nome do governo", e diz não temer a "alardeada delação". Leia, abaixo, a íntegra:
 
"NOTA SOBRE A CITAÇÃO NA DELAÇÃO DO JBS
 
O deputado Zeca do PT não tem o menor temor da alardeada delação dos executivos do grupo JBS, já que na condição de ex-governador do Estado, nunca pediu e nem tomou conhecimento de que alguém tenha pedido propina ao referido grupo em seu nome ou em nome do seu governo.
 
Resta desafiado que seja apresentado qualquer prova ou indício do fato aludido na referida delação.
 
O Deputado Zeca do PT confia que o poder judiciário ao final da apuração saberá distinguir as verdadeiras imputações daquelas que tem um único propósito: Obter benefício com uso indevido da delação premiada.
 
Deputado Federal Zeca do PT
19/05/2017"



Esquema teria iniciado no governo Zeca, passado por André e chegado a Azambuja diz Joesley

Postado por Marco Eusébio , 19 Maio 2017 às 19:00 - em: Principal


Comitê de MS contra reformas agora quer também a saída de Temer e eleições diretas já

Postado por Marco Eusébio , 19 Maio 2017 às 16:45 - em: Principal

Centrais e sindicatos que formam o Comitê Estadual Contra as Reformas da Previdência e trabalhista, em Mato Grosso do Sul, prometem levar na semana que vem uma caravana de ônibus fretados com mais de 1.500 trabalhadores, entre professores, servidores públicos, comerciários e industriários à Brasília. O comboio sai na terça-feira com retorno na quinta-feira. Marcada há mais de uma semana contra as reformas, a manifestação agora será também para pedir a saída de Michel Temer do governo e eleições diretas para a Presidência, diz Pedro Lima, presidente da Federação dos Empregados no Comércio e Serviços de MS (Fetracom) que está fretando dois ônibus para levar filiados visando engrossar a manifestação nacional.




Aécio pediu a Gilmar Mendes para convencer senador Flexa Ribeiro a seguir seu foto

Postado por Marco Eusébio , 19 Maio 2017 às 15:30 - em: Principal

Com ordens judiciais emitidas pelo Supremo na Operação Patmos, a Polícia Federal interceptou uma conversa telefônica de Aécio Neves (PSDB) com o ministro do STF Gilmar Mendes no dia 26 de abril. Conforme a Folha de S.Paulo, o senador investigado pediu ao ministro para que telefonasse para o senador Flexa Ribeiro para que este siga a orientação de voto proposta por ele, Aécio, no projeto que tratava de "abuso de autoridade" em discussão no Congresso.
 
Em resposta ao pedido de Aécio, o ministro do STF respondeu: "O Flexa, tá bom, eu falo com ele". Conforme a Polícia Federal, no mesmo dia o plenário do Senado aprovou o substitutivo do senador Roberto Requião (PMDB-PR) ao projeto que altera a definição dos crimes de abuso de autoridade.
 
A investigação, coforme a Folha, também interceptou duas ligações telefônicas entre Aécio e o próprio diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello. Na primeira conversa, Aécio fala sobre o depoimento dele, que estava marcado na Operação Lava Jato, que depois seria adiado por decisão do ministro Gilmar Mendes. Numa segunda ligação, Aécio pede um espaço na agenda de Daiello para "falar sobre a previdência", em discussão no Congresso. 
 
Na operação, ainda conforme o jornal, a PF também interceptou pelo menos uma conversa telefônica entre o presidente Michel Temer e seu ex-assessor e homem de confiança, o atual deputado federal Rodrigo Loures (PMDB-PR). No diálogo, Temer fala trata com Loures sobre de uma expectativa que o deputado federal tinha a respeito de novas regras para o setor de portos.
 
Os documentos revelam que os aparelhos telefônicos de Aécio e de Loures estavam sob interceptação judicial - ou seja, os grampos não ocorreram nos telefones de Gilmar Mendes e de Michel Temer. No juridiquês, são provas coletadas de "forma fortuita", diz a Folha de S.Paulo.



Ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff: 'contas eram operadas por Mantega', diz Joesley Batista

Postado por Marco Eusébio , 19 Maio 2017 às 13:45 - em: Principal




No Jornal Nacional, Marun virou ontem principal defensor Michel Temer na Câmara

Postado por Marco Eusébio , 19 Maio 2017 às 12:30 - em: Principal

Citado como "principal aliado de Cunha na Câmara" pelo jornal O Globo, Carlos Marun (PMDB-MS) virou também o principal defensor de Michel Temer na Casa. Na noite anterior, o deputado foi o escolhido pela TV Globo para fazer a defesa do presidente em meio ao furacão da delação de Joesley Batista. Em vídeo exibido pelo Jornal Nacional e pelo Jornal da Globo na noite anterior e repetido há pouco no Jornal Hoje da Globo, Marun afirma que Temer "está sendo vítima de uma cilada, de uma armação". Veja abaixo o vídeo postado no Facebook do parlamentar.




Primeiro na linha sucessória, Rodrigo Maia manteve silêncio sobre a delação que abalou Michel Temer

Postado por Marco Eusébio , 19 Maio 2017 às 11:30 - em: Principal

"Não passou despercebido pelo Palácio do Planalto ontem o absoluto silêncio de Rodrigo Maia, o primeiro na linha sucessória", diz o blog do Lauro Jardim, responsável por divulgar a bombástica delação de Joesley Batista que abalou Brasília, em O Globo.



Postado por Marco Eusébio , 19 Maio 2017 às 10:20 - em: Principal




Aécio Neves: denúncia de Joesley vai bem além do recente pedido de R$ 2 milhões

Postado por Marco Eusébio , 19 Maio 2017 às 09:00 - em: Principal

Por Guilherme Amado no blog do Lauro Jardim em O Globo:
 
"A delação de Joesley Batista tem outros trechos devastadores para Aécio Neves, além da gravação em que Aécio pede R$ 2 milhões. Joesley revela que pagou propina de cerca de R$ 60 milhões em 2014 para Aécio, por meio da emissão de notas fiscais frias a diversas empresas. O dono da JBS também revela que comprou o apoio de partidos políticos para apoiar Aécio a presidente."



Postado por Marco Eusébio , 19 Maio 2017 às 08:00 - em: Principal