Campo Grande, Quinta-Feira , 19 de Outubro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br
Aécio à imprensa em 2015 sobre Delcídio: 'A nossa interpretação é que a decisão deve se dar por votação aberta'

Postado por Marco Eusébio , 16 Outubro 2017 às 13:30 - em: Principal

As voltas que o mundo dá. Embora hoje senadores aliados de Aécio Neves (PSDB-MG) tentem fazer com que seja secreta a votação que vai definir o futuro do mandato do tucano mineiro no Senado, nem sempre pensaram assim. O próprio Aécio, juntamente com os senadores Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), José Agripino (DEM-RN) e Ronaldo Caiado (DEM-GO), assinou requerimento ao Supremo em 2015, após a prisão de Delcídio do Amaral (ex-PT-MS), para que fosse aberta a votação no Senado para decidir o destino do então senador sul-mato-grossense, lembra o blog Maquiavel da revista Veja. Em coletiva de imprensa à época, Aécio pedia pressa na votação sobre Delcídio e voto aberto. "Na nossa interpretação, a manifestação, por maioria do Senado Federal, deve se dar por votação aberta", afirmava o tucano. Veja o vídeo.




Época: com a Lava Jato devagar, quase parando, Curitiba deve deflagrar outra megaoperação até o fim do ano

Postado por Marco Eusébio , 16 Outubro 2017 às 12:15 - em: Principal

"Todos percebem que o ritmo de operações deflagradas no âmbito da Lava Jato está devagar, quase parando. Mas não será assim até o fim do ano. Curitiba prepara uma daquelas megaoperações capazes de povoar as manchetes dos jornais por dias seguidos. Mais trabalho para o coordenador da Lava Jato no Ministério Público Federal, o procurador Deltan Dallagnol, e para o juiz Sergio Moro", diz Diego Escosteguy no blog Expresso da revista Época.




Carlos Marun, que estava fora do País, diz que está de volta nesta segunda-feira com as 'baterias recarregadas'

Postado por Marco Eusébio , 16 Outubro 2017 às 11:00 - em: Principal

Deputado da base aliada de Michel Temer que mais apareceu na imprensa nacional durante a primeira denúncia da PGR no Supremo contra o presidente, o sumiço de Carlos Marun (PMDB-MS) da mídia nestes dias que antecedem a votação da Câmara sobre a segunda denuncia contra o peemedebista causa estranheza. Neste domingo que expirou o feriadão prolongado, perguntei ao Marun a causa de seu "desaparecimento" e o deputado respondeu ao Blog: "Estive fora do País a semana inteira. Fui muitíssimo procurado, neste fim de semana, por praticamente todos os jornais, e as TVs Globo e Band. Nesta segunda-feira estou de volta, com as baterias recarregadas".




Postado por Marco Eusébio , 16 Outubro 2017 às 10:15 - em: Principal




Temer e Maia: clima desagradável na semana em que a CCJ vai analisar relatório sobre denúncia contra o presidente

Postado por Marco Eusébio , 16 Outubro 2017 às 09:00 - em: Principal

A semana em que a CCJ da Câmara vai analisar o relatório da segunda denúncia contra Michel Temer, começa com uma crise entre o peemedebista e o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) por causa da divulgação dos vídeos da delação de Lúcio Funaro provocou. No governo, conforme o Estadão de S.Paulo, a divulgação do material no site da Câmara foi visto como ação de Maia para tentar constranger o Palácio e mostrar descolamento. O episódio levou Maia a chamar de "incompetente" o advogado do presidente, Eduardo Carnelós, por ter criticado os "vazamentos criminosos". Ontem, Carnelós recuou e divulgou nova nota (leia aqui) dizendo não sabia que os vídeos estavam no site da Câmara e que "jamais" imputou a Rodrigo Maia "a prática de ilegalidade, muito menos crime".




Postado por Marco Eusébio , 16 Outubro 2017 às 08:00 - em: Principal


Manifestantes com cartaz em frente à TV Morena pedindo aos motoristas que buzinassem na Avenida Zahran

Postado por Marco Eusébio , 15 Outubro 2017 às 21:00 - em: Principal

Munido de faixas e cartazes, o grupo Direita MS promoveu um "buzinaço" na Avenida Zahran, em frente à sede da TV Morena, afiliada da TV Globo em Campo Grande, contra o Fantástico e outros programas nesta noite de domingo. "Eles fizeram uma reportagem especial sobre o 'peladão do MAM' onde uma criança toca um homem nu. Colocaram vários 'especialistas' dizendo que era tudo normal. Além disso mostraram também uma família que pratica o 'poliamor'", disse ao Blog o Pietro Decenzo, coordenador do movimento, em referência ao Fantástico da semana anterior.

"O programa Encontros vem promovendo ideologia de gênero quase que diariamente, assim como as novelas da emissora, que também estão glamourizando o crime" acrescentou o arquiteto. Não houve reação ao protesto, mas um segurança retirou uma faixa que havia sido colocada na frente da emissora com os dizeres: "Ideologia de gênero, a gente vê por aqui". O grupo também está pregando boicote à revista Veja, que em matéria de capa desta semana também destaca a ideologia de gênero. "Não assinar nem comprar", diz Decenzo. Veja vídeo do protesto.




Em nota, advogado se retrata dizendo que não sabia que vídeos de Funaro foram divulgados no site da Câmara

Postado por Marco Eusébio , 15 Outubro 2017 às 16:30 - em: Principal

Um dia depois de classificar como "criminoso vazamento" a divulgação dos vídeos da delação do doleiro Lúcio Funaro – que não foram vazados, pois estão publicados desde o dia 29 de setembro no site oficial da Câmara (veja aqui) – o advogado Eduardo Pizarro Carnelós, que representa Michel Temer, enviou nota à imprensa neste domingo dizendo que desconhecia que a Câmara havia divulgado os vídeos, conforme informou ontem a TV Globo, e frisando que jamais pretendeu imputar ao presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), "a prática de ilegalidade, muito menos crime". Carnelós, entretanto, reitera "que a divulgação daqueles vídeos pela imprensa causa prejuízos ao Presidente da República". "Não se pode admitir o uso da palavra do confesso criminoso para influenciar os membros da Câmara, que votarão na CCJC o muito bem fundamentado parecer do deputado Bonifácio de Andrada, cuja conclusão é pela rejeição à solicitação de autorização para processar o presidente Temer".
 
Leia a íntegra da nota enviada hoje ao Blog:
 
"NOTA DE ESCLARECIMENTO
 
Tendo em vista as especulações surgidas após a divulgação de minha nota ontem, esclareço que:
 
1. No dia 25 de setembro deste ano, requeremos ao Ministro Fachin acesso aos autos do inquérito 4327, bem  como a todos os anexos que o compõem, inclusive delação de Lúcio Funaro e os termos de declarações que a integram. S. Ex.ª deferiu nosso pedido, mas limitou o acesso à delação à parte dela que dissesse respeito ao Presidente da República.
 
2. Quando divulguei nota ontem, referindo-me a vazamento que qualifiquei como criminoso, eu desconhecia que os vídeos com os depoimentos de Funaro estavam disponíveis na página da Câmara dos Deputados. Aliás, considerando os termos da decisão do Ministro Fachin, eu não poderia supor que os vídeos tivessem sido tornados públicos. Somente fiquei sabendo disso por meio de matéria televisiva levada ao ar ontem.
 
3. Jamais pretendi imputar ao Presidente da Câmara dos Deputados a prática de ilegalidade, muito menos crime, e hoje constatei que o ofício encaminhado a S. Ex.ª pela Presidente do STF, com cópia da denúncia e dos anexos que a acompanham, indicou serem sigilosos apenas autos de um dos anexos, sem se referir aos depoimentos do delator, que também deveriam ser tratados como sigilosos, segundo o entendimento do Ministro Fachin, em consonância com o que tem decidido o Supremo Tribunal.
 
4. Reitero que a divulgação daqueles vídeos pela imprensa causa prejuízos ao Presidente da República. Não se pode admitir o uso da palavra do confesso criminoso para influenciar os membros da Câmara, que votarão na CCJC o muito bem fundamentado parecer do deputado Bonifácio de Andrada, cuja conclusão é pela rejeição à solicitação de autorização para processar o presidente Temer.
 
Eduardo Pizarro Carnelós"



Professor em sala de aula de escola pública em Dourados: nobre carreira cada vez menos atraente para jovens brasileiros

Postado por Marco Eusébio , 15 Outubro 2017 às 15:45 - em: Principal

A falta de reconhecimento, de condições de trabalho e baixos salários atrai cada vez menos jovens para a profissão de professor, que já esteve entre as mais valorizadas no Brasil. A cada 100 jovens que estudam pedagogia e licenciatura no País, só 51 concluem o curso. Destes, só 27 manifestam interesse em seguir carreira no magistério. As informações divulgadas neste domingo, Dia do Professor, são do movimento Todos Pela Educação, com base em dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), ligado ao Ministério da Educação (MEC).
 
"Temos um apagão de professores, principalmente pela desvalorização", diz a presidente do Todos Pela Educação, Priscila Cruz, ao frisar que professor ganha metade do que recebem profissionais de outras áreas com curso superior completo. Priscila lembra ainda que é preciso melhorar as condições de trabalho. "O fato de o jovem verificar no seu dia a dia que os professores não são valorizados, e muitas vezes são atacados pelos próprios jovens, pelas famílias, pela sociedade, pelo governo, isso faz com que o jovem desista da profissão", lamenta. 
 
Apesar de alguns avanços nos últimos anos, como a lei do piso nacional para o magistério, a profissão continua perdendo em nível salarial para outras atividades. Dados da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), revelam que em 2004 o salário dos professores representava cerca de 60% da média salarial de outras profissões. Atualmente é 52% da média. "Este é o movimento inverso do Plano Nacional de Educação, que diz que, até 2020, o salário médio dos professores deve ser equiparado ao salário médio de outras profissões", afirma o presidente da CNTE, Heleno Araújo.
 
O MEC promete lançar nos próximos dias uma política nacional de formação de professores, articulada à Base Nacional Comum Curricular, focando na valorização dos profissionais. "Existe a clareza de que o professor tem um papel central no desenvolvimento educacional de nossos estudantes e de que, para exercer essa profissão, ele precisa ser valorizado em todas as suas dimensões", diz o ministério, em nota. (Com Agência Brasil)



Postado por Marco Eusébio , 15 Outubro 2017 às 10:00 - em: Principal

O Estado de S.Paulo - SP
"Após dois anos de sufoco, baixa renda volta às compras"
 
O Globo - RJ
"Tuberculose avança no rastro de problemas sociais"
 
Folha de S.Paulo - SP
"Sindicato teme perda de até R$ 3 bi sem imposto"
 
A Gazeta - MT
"STJ 'tira' inquéritos da grampolândia de Perri"
 
Correio Braziliense - DF
"Corrida para o Buriti começa a ser definida"
 
A Tarde - BA
"Sexo sem proteção eleva casos de Aids entre idosos"
 
Estado de Minas - MG
"O difícil recomeço"
 
Jornal do Commercio - PE
"O Agreste que pulsa"
 
Diário do Pará - PA
"Governo Jatene torrou R$ 1,1 bilhão em viagens"
 
REVISTAS
 
Veja
"Meu filho é trans"
 
IstoÉ
"Os jovens e a nova política"
 
Época
"A corrupção fardada"
 
CartaCapital
"Milagre brasileiro"